segunda-feira, 12 de setembro de 2016

PEIXE-VELA: O peixe mais veloz do mundo

O PEIXE, O VELHO E O MAR…
PEIXE-VELA Istiophorus albicans
Nome inglês: Atlantic sailfish
Família: Istiophoridae
É um peixe belo e valente, com bico em forma de espada. É o peixe mais veloz do mundo. Costuma alcançar 110 km/h, quando viaja acelerado. O Peixe-vela tem uma forma hidrodinâmica especializada para alcançar altas velocidades e mantê-las durante períodos relativamente longos. O seu corpo fusiforme, com as nadadeiras e a cauda delgadas, permite-lhe deslizar no meio líquido com muito pouco atrito. Alimenta-se  de peixes menores e lulas. O Peixe-vela chega a atingir 2,85 m ou mais. Pesa cerca de 40 kg. É um peixe lendário. Contra um deles, por exemplo, lutou até a morte o obstinado e solitário pescador Santiago, personagem do livro O Velho e o  Mar, de Ernest Hemingway. É conhecido também como Espadarte e Agulhão-de-vela. Surge no arquipélago de Fernando de Noronha entre os meses de julho e setembro.
Você pode encontrar mais curiosidades como essa no livro Peixes do Brasil de Rios, Lagoas e Riachos. Clique aqui para comprá-lo: http://peixeseaves.com.br/site/produto/peixes-do-brasil-de-rios-lagoas-e-riachos-guia-do-pescador/

PIRANHA-VERMELHA

Pequena e perigosa. É conhecida também como Piranha-caju. As piranhas vermelhas vivem em cardumes numerosos. Possuem dentes afiadíssimos. Em rios caudalosos, oferecem menos perigo, mas em correntezas lentas e lagoas, onde o alimento é escasso, tornam-se extremamente vorazes. E essa voracidade é tamanha que, à falta de coisa melhor, Piranha come Piranha. Atraídos pelo cheiro de sangue, cardumes inteiros atacam animais feridos, reduzindo-os a esqueletos.
  • Nome científico: Pygocentrus nattereri.
  • Tamanho: 14 cm de comprimento.
  • Alimentação: peixes, crustáceos, insetos.
  • Hábitat: rios, lagos.
  • Áreas de incidência: Bacia Amazônica (Rio Roosevelt), Bacia dos Rios Tocantins e Araguaia, Bacia do Rio São Francisco.

 
Gostou da curiosidade? Você pode encontrará mais curiosidades como essa no livro Peixes do Brasil de Rios, Lagoas e Riachos. Clique aqui para comprá-lo: http://peixeseaves.com.br/site/produto/peixes-do-brasil-de-rios-lagoas-e-riachos-guia-do-pescador/

HOODED-PITOHUI, o pássaro venenoso




Essa e outras curiosidades você encontra no livro O Mundo Colorido das Aves.
Clique aqui para comprá-lo: http://peixeseaves.com.br/site/produto/o-mundo-colorido-das-aves/

PORAQUÊ – O matador dos rios

Pode me chamar de “MISTER M” DA PESCA (O QUE ESTRAGA A DIVERSÃO), MAS A VERDADE PRECISA SER REVELADA

ESTE PEIXE PARECE TER SAÍDO DE UM FILME DE TERROR…

O Poraquê é um dos peixes mais temíveis. É um predador agressivo de proporções assustadoras. É conhecido também como Peixe-elétrico, Gimnoto e Enguia-elétrica. Atinge aproximadamente 3 metros de comprimento, com diâmetro do corpo equivalente ao da coxa de um homem. A aparência do Poraquê e a forma como ele se movimenta na água o tornam muito assustador, parecendo uma grande cobra Sucuri. O Poraquê sobe à superfície em intervalos de 10 a 15 minutos para dar uma abocanhada de ar. A peculiaridade desta espécie consiste na existência de lâminas perpendiculares na superfície de seu corpo, que constituem verdadeiras pilhas elétricas, isoladas por uma substância gelatinosa semi-condutora. Este peixe consegue emitir descargas elétricas entre 200 e 1500 volts e pode matar até um grande jacaré ou um cavalo. No estado do Pará, crianças, pescadores, banhistas e peões já foram mortos em encontros com o Poraquê. Ele geralmente se enrola no corpo da vítima e causa queimaduras terríveis (o mesmo efeito de um ferro em brasa). A corrente produzida por um Poraquê pode acender lâmpadas ou tocar campainhas de volume normal. Seu sistema de caça é o de encostar em outros peixes e paralisar-lhes os músculos com um choque. A cabeça e a cauda formam os dois pólos, entre os quais se produz a corrente elétrica. Este animal consegue controlar o potencial elétrico de que dispõe podendo utilizá-lo todo de uma vez ou em descargas menores. Segundo estudiosos, o Poraquê não precisa tocar ou morder a vítima para paralizá-la, ele pode emitir a descarga elétrica de longe. Um Poraquê adulto que tenha usado toda a sua potência demora dois dias para “recarregar”. Num encontro com este assassino, dificilmente o pescador volta vivo para casa.
• Áreas de incidência: Bacia Amazônica (Rio Amazonas e afluentes, Rio Roosevelt), Bacia dos Rios Tocantins e Araguaia. (Também ocorrem em outras regiões do Brasil)
.
poraquê
Este e muitos outros monstrengos estão no livro “Peixes do Brasil de Rios, Lagoas e Riachos” de Etson Bini. Mesmo no Século 21 tudo o que está embaixo da água ainda é cheio de mistério. Visite nossa Loja Virtual clicando aqui.

CANDIRU – O peixinho do inferno


PEQUENO, MAS ASSOMBROSO… BANHOS EM RIOS, CACHOEIRAS… ELE VIVE POR AÍ…
É o temível peixe amazônico. Este peixe causa terror entre os índios e caboclos ribeirinhos da Amazônia. O Candiru é mais temido que a Piranha. Este peixe tem o formato de uma lombriga. O Candiru costuma entrar nas guelras dos outros peixes para se alimentar com sangue. Por isso, ficou conhecido como “Peixe-vampiro”. Este bagre parasita também ataca pessoas, e pode causar ferimentos graves e até a morte. O Candiru penetra no ânus, na vagina ou na uretra das pessoas que estão se banhando nos rios. Urinar enquanto se banha aumenta as chances de um Candiru se hospedar na uretra humana. Quando o peixe entra na uretra, pode parar na bexiga da pessoa, de onde só pode ser retirado por médico especializado. Há casos registrados na medicina deste tipo de ataque do Candiru.
• Nome científico: Vandellia cirrhosa.
• Família: Pristidae.
• Tamanho: atinge até 18 cm de comprimento.
• Alimentação: sangue de peixes e humanos.
• Habitat: rios, igarapés.
• Áreas de incidência: Bacia Amazônica (Rio Amazonas, Rio Madeira e afluentes), Rio Paraná.
                                                             
Este e muitos outros monstrengos estão no livro “Peixes do Brasil de Rios, Lagoas e Riachos” de Etson Bini. Visite nossa Loja Virtual clicando aqui.

O falcão da floresta de Robin Hood

ESTE ESPAÇO É SOBRE PESCA, PESCADORES, TUBARÕES, PÁSSAROS, PASSARINHEIROS E OUTRAS FERAS…
 FALCÃO-LANÁRIO
Empregado outrora na falcoaria, é conhecido também como Falcão-borni e Falcão-de-lanner. Dizem que este falcão notável viveu na Floresta de Sherwood (a floresta dos contos do herói mítico Robin Hood), e na Floresta de Dean, na Inglaterra. Acredita-se que as populações  deste falcão derivam de aves que fugiram de falcoeiros da nobreza medieval.
                                                        
Gostou da curiosidade? Este e muitos outros falcões incríveis fazem parte do livro “Aves de Rapina” de Etson Bini. Você pode comprá-lo acessando nossa loja virtual: http://peixeseaves.com.br/site/produto/aves-de-rapina


terça-feira, 6 de setembro de 2016

Pescadores do Cinema #1: Steve McQueen


Steve McQueen

Tempo bom! Que saudade dos anos 70…

Pescarias, filmes, corridas de carros e motocicletas…
É impossível pensar nos bons filmes dos anos 70 e não lembrar do ator Steve McQueen, um dos maiores ícones da história do cinema. Steve McQueen é sempre lembrado como símbolo de uma geração pelos inúmeros filmes de ação que protagonizou (Sete Homens e Um DestinoOs RebeldesFugindo do InfernoBullitt e tantos outros). Menino pobre; passou por muitas dificuldades na infância. Cresceu. Foi o mais famoso e mais bem pago ator de Hollywood de seu tempo. Viveu a vida intensamente. Morreu em 1980, relativamente moço, aos 50 anos.
Uma curiosidade: Além de pilotar carros e motos em dezenas de competições, ele também gostava de uma boa pescaria pelos rios de águas frias dos Estados Unidos.

Steve McQueen pescando/1972.


“Quero uma vida como a dos filmes
Quero uma vida exagerada
Quero uma vida como a de Steve McQueen… ” 

Assista ao vídeo e ouça a triste canção de Vasco Rossi “Vita Spericolata” (Vida Imprudente). Esta música descreve o inesquecível Steve McQueen.

(Créditos das imagens: mopam.com e megadeluxe.tumblr.com).